10 Inimigos de videogame com o ponto fraco mais óbvio

Tatiana de Paula
12 Min Leitura
Lost Planet Akrid Ponto fraco, jogador atacando o ponto fraco de um Colossus, Mutated Jack Baker de Resident Evil 7, da esquerda para a direita

Ao longo dos anos de jogo, nos acostumamos com certos tropos. Por que os protagonistas falam tanto sozinhos, como o inimigo não vê o seu companheiro, coisas assim.

Destaques

  • Os pontos fracos dos inimigos são um tropo comum nos jogos e muitas vezes podem promover uma mudança no seu estilo de jogo conforme você tenta explorá-los.
  • Jogos como Ocarina of Time e Mass Effect 2 têm pontos fracos hilariamente óbvios, como olhos enormes e corações brilhantes.
  • Outras vezes, conhecer os pontos fracos dos inimigos em jogos como Dead Space e Dragon’s Dogma exigem habilidade e conhecimento dos sistemas do jogo.

Um dos mais engraçados são os pontos fracos do inimigo. Parece uma má ideia andar por aí com uma marca de morte brilhante no corpo.

Mesmo assim, é um dos tropos mais comuns nos jogos. Muitas vezes, isso é mal feito, desencorajando você de fazer qualquer coisa que não seja a melhor coisa.

Outras vezes, pode promover uma mudança no seu estilo de jogo. Seja bom ou ruim, às vezes você encontrará inimigos que tornam dolorosamente óbvio exatamente onde você deveria mirar.

10 – Ocarina Of Time – Globos Oculares

Jovem Link enfrenta Gohma

The Legend of Zelda: Ocarina of Time

  • Franquia The Legend of Zelda
  • Plataforma(s) Nintendo 64, GameCube
  • Gênero(s) Ação e aventura

Durante o advento dos jogos 3D, muitos pequenos ajustes extras de design tiveram que ser adicionados aos jogos para permitir que os jogadores se orientassem no mundo.

Da assistência à navegação aos sistemas de bloqueio, a mudança para o 3D foi um grande salto. Ocarina of Time é o lar de muitas dessas mudanças, incluindo nossos tão amados pontos fracos.

As pessoas adoram com razão Ocarina of Time, mas você consegue se lembrar de um chefe naquele jogo que não tem um ponto fraco extremamente óbvio.

Melhor ainda, todos eles têm um globo ocular enorme. Isso serve ao duplo propósito de dizer onde atacar e também saber qual lado do inimigo está na frente e atrás. Mesmo que seja hilariantemente óbvio.

9 – Mass Effect 2 – Ceifador Humano

Mass Effect  doisCaptura de tela do Human Reaper

Mass Effect 2

  • Franquia Mass Effect
  • Plataforma(s) PS3, Xbox 360, computador
  • Gênero(s) RPG de ação, jogo de tiro em terceira pessoa

O Mass Effect a série inegavelmente passou por alguns obstáculos importantes. Muitas vezes falamos sobre o final de Mass Effect 3, mas também é justo mencionar que cada Mass Effect o jogo tem um final meio reviravolta na história, e o Human Reaper de Mass Effect 2 não é diferente.

Embora todo o encontro pareça um sonho febril, é pelo menos muito difícil falhar, visto que este ceifador humano mecanóide gigante tem olhos brilhantes e um coração.

Está longe de ser uma batalha interessante, e talvez até um pouco engraçada, mas pelo menos tem os mesmos pontos fracos de um ser humano real. Apenas brilhando desta vez.

8 – Dead Space – Cada membro

Dead Space  Isaac lutando contra um necromorfo dentro de uma estação espacial abandonada

Dead Space (2023)

  • Franquia Dead Space
  • Plataforma(s) PS5, Xbox Series X, Xbox Series S, PC
  • Gênero(s) Horror de Sobrevivência

Existe um ponto padrão quando se trata de assumir o ponto fraco de um inimigo – mirar na cabeça. É um alvo menor, abriga algumas funções vitais e causa danos massivos.

Nem todo jogo faz isso, obviamente, e é por isso que existem pontos fracos destacados. E então há Dead Space.

Ele inverte quase todas as suposições quando se trata de matar inimigos. A cabeça é só para eles te verem, o tronco não sente nada. Se você quiser impedir que eles cortem você em pedaços, primeiro corte-os em pedaços.

É engraçado que pareça tão óbvio em retrospecto, quando era uma tarefa difícil fazer os jogadores entenderem na época.

7 – Planeta Perdido – Cada Akrid

O jogador atirando em um grande monstro em Lost Planet

Lost Planet

  • Franquia Planeta perdido
  • Plataforma(s) PS3, Xbox 360, computador
  • Gênero(s) Atirador em terceira pessoa

A série Lost Planet, há muito adormecida, tem uma premissa simples. Os humanos colonizaram um novo mundo depois de destruir o seu próprio, os alienígenas nativos são hostis e o governo provisório na verdade quer destruir outro planeta. Coisas típicas.

É aqui que fica ainda mais típico o Akrid. Estes são os alienígenas que habitam o planeta, e é incrível que a seleção natural ainda não tenha acabado com eles.

Cada um deles, do menor ao gigantesco, tem uma protuberância laranja brilhante. Considerando que todos eles também são pretos em um planeta nevado, é impossível perder esse laranja.

6 – Shadow Of The Colossus – Sigilos Colossi

Shadow Of The Colossus Captura de tela do ataque ao ponto fraco

Shadow of the Colossus

  • Plataforma(s) PS4
  • Gênero(s) Aventura

Shadow of the Colossus é um daqueles jogos que não é para todos, mas que todos deveriam tentar mesmo assim.

Em termos de jogabilidade, é muito simples, sem a introdução de muitas novidades, em vez disso, distorce a jogabilidade existente em torno de seus inimigos e áreas. Essa consciência, no entanto, é o que a torna uma experiência tão comovente..

Veja, cada Colossi tem um ponto fraco, e isso é dolorosamente óbvio. Você pode até levantar sua espada para guiá-lo diretamente em direção a ela.

No entanto, pretende ser óbvio porque o desafio está em chegar lá. E se você se sentir mal depois de destruir esses Colossos, então é melhor que tenha sido tão fácil fazê-lo.

5 – Resident Evil 7 – Jack Mutante

Resident Evil  7: Jack Baker em sua forma de monstro

Resident Evil 7: Risco biológico

  • Franquia Resident Evil
  • Plataforma(s) PS5, PS4, Xbox Series X, Xbox Series S, Xbox One , Switch , Stadia computadores
  • Gênero(s) Horror de Sobrevivência

É difícil exagerar a influência absoluta do Resident Evil série sobre videogames até hoje. Foi pioneiro no terror de sobrevivência, cujos elementos ainda são imensamente populares até hoje.

E sendo uma série centrada em zumbis, você pode ter certeza de que (normalmente) a cabeça era o ponto fraco. Mesmo com o desenrolar dos jogos, isso continuou sendo uma verdade geral.

Então vem Resident Evil 7, uma revisão muito necessária para a série. E sem dúvida foi um sucesso retumbante, até chegar às horas finais.

Depois de vários chefes e áreas únicas, você é canalizado para uma pequena sala e forçado a lutar contra uma versão mutante de Jack. Basta olhar para aquela coisa! Você não precisa saber nada sobre o jogo para saber como derrotá-lo.

4 – Nioh – chifres de Amrita

O jogador lutando contra gozuki com um odachi

Nioh 2

  • Franquia Nioh
  • Plataforma(s) Computador, PS4, PS5
  • Gênero(s) RPG de ação

Freqüentemente vemos novos candidatos à coroa de ‘Best Soulslike’, mas poucos chegaram perto de tirar a coroa de Nioh.

Tomando os conceitos básicos de Dark SoulsNioh transformou-os em um sistema próprio, com combate em ritmo acelerado, inimigos mitológicos e variedade de armas atraente.

Devido aos conjuntos de movimentos bem definidos de suas armas, ele fez com que a segmentação de elementos de um inimigo fosse firmemente baseada em sua familiaridade com sua arma.

Portanto, embora quase todos os inimigos tenham algum chifre Amrita brilhante que drenará seu Ki quando destruído, o próprio ato de atacá-lo é baseado em sua habilidade. Uma boa recompensa pelo conhecimento do jogo e seus sistemas.

3 – Dragon’s Dogma – Corações de Wyvern

Herói do Dogma do Dragão vs Dragão

Dragon’s Dogma 

  • Plataforma(s) PS3, Xbox 360
  • Gênero(s) RPG de ação

Você não pode dizer que existe outro jogo como Dragon’s Dogma. Não apenas porque fundiu aspectos de muitos outros jogos de maneiras incríveis, mas porque raramente recebeu a atenção necessária para inspirar outros.

O ato de combate em Dragon’s Dogma é o núcleo do jogo, misturando a ação do personagem com os inimigos com muito mais profundidade do que você esperaria.

Alguns desses inimigos podem ser mais sutis. Escale um Ciclope para apunhalá-lo diretamente no globo ocular.

Coisas lógicas. Depois, há wyverns. Seria difícil não perceber seu ponto fraco, já que é o enorme ponto brilhante em suas costas, onde seu disco rígido pode ser encontrado. No entanto, não torna fácil alcançá-lo.

2 – Just Cause – Tinta Vermelha

Rico desliza para lançar um comboio militar que explode na rodovia

Just Cause

  • Franquia Justa causa
  • Plataforma(s) PC, PS2, Xbox (Original) , Xbox 360
  • Gênero(s) Ação e aventura

Portanto, esta lista pode focar nos inimigos, mas podemos ampliar um pouco a definição de “inimigo” para esta entrada.

Nos jogos Just Cause, existem inimigos no sentido tradicional, humanos nos quais você atira e tal. Mas as armas em Just Cause nunca pareceram ser para os inimigos, não é?

Não, eles servem para explodir coisas. E Just Cause torna mais fácil do que qualquer jogo saber o que é perigoso.

Você pode ter visto barris vermelhos em outros jogos, mas Just Cause está pintando edifícios inteiros de vermelho para que você saiba o que é explosivo. Então pinte o mundo com semtex e cinzas, é para isso que serve o seu arsenal.

1 – Genji: Dias da Lâmina – Caranguejos Gigantes

Imagem promocional de Genji Days Of The Blade apresentando os personagens jogáveis

Dependendo de há quanto tempo você está na internet, você pode ou não se lembrar de um jogo chamado Genji 2, exibido na apresentação da Sony na E3 de 2006.

Nele, somos informados das batalhas históricas do Japão, trazidas à vida de uma forma que só o PS3 pode alcançar. Uma reivindicação impressionante e algo padrão para um novo jogo.

Embora anunciado como Genji 2, foi finalmente lançado como Genji: Days Of The Blade

Então, aparece um caranguejo gigante. Isso é feito casualmente, como se os caranguejos gigantes fossem um incômodo comum no Japão.

Ah, mas os caranguejos têm uma fraqueza que você talvez não conheça! Se você virá-los, seu estômago abrigará um ponto brilhante que você pode atacar e causar danos massivos. Consideremos o Japão salvo da crise dos crustáceos.

Siga-nos no Google News para receber as últimas notícias!

Tag:
Compartilhe este artigo