10 jogos de mundo aberto mais bonitos

Juliana Pacilio
12 Min Leitura
Jogos de mundo aberto mais bonitos, imagem de destaque classificada

Os mundos abertos nos jogos sempre foram procurados porque o apelo da exploração e descoberta gratificantes é universal.

Se um jogo é uma obra-prima visualmente deslumbrante, além de ser de mundo aberto, ele se torna irresistível.

Nem todos os jogos precisam estar na vanguarda do que a indústria tem a oferecer para serem considerados “bonitos”. A direção de arte pode fazer grande parte do trabalho pesado.

Para esta lista, a única métrica que analisamos é a qualidade do mundo aberto de um jogo, nada mais. Jogabilidade, gênero, capacidade de reprodução e qualquer coisa intermediária não são levados em consideração.

10 – Elden Ring

Assustadoramente lindo

Deixando de lado o quão bom é o jogo Elden Ring é de uma perspectiva de jogo, o mundo aberto assustadoramente belo de Elden Ring é de tirar o fôlego.

Consistentemente bonito, tudo flui naturalmente. De Limgrave a Liurnia e ao Altus Plateau, tudo está interligado por um tema consistente: o iminente Erdtree.

Consistentemente bonito, tudo flui um no outro naturalmente. From Software nunca foi conhecido por colocar muita ênfase em gráficos e texturas de alta resolução em seus jogos, e isso não mudou em Elden Ring.

Mas ainda é um dos mundos abertos mais memoráveis ​​que já tive o prazer de experimentar. Pode não ser da mais alta fidelidade, mas a direção de arte é o que o coloca nesta lista.

9 – The Witcher 3: Wild Hunt

Garra, Gwent e Grandeza

Lançado em 2014, The Witcher 3 continua sendo um dos jogos mais bonitos já lançados na indústria.

Desde o momento em que você sai para a varanda, e a vista das montanhas cobertas de neve é ​​de tirar o fôlego, até o momento em que você termina sua jornada na taverna com todos os amigos de Geralt, o jogo nunca deixa a bola cair.

Tão idílico que parece ter saído de um sonho. Se você ainda não experimentou, a DLC Toussaint in the Blood and Wine está um passo acima do jogo base.

Tão idílico que parece ter saído de um sonho e permanece consistente o tempo todo. O palácio, as vinhas, as pastagens e até as ruas são incríveis. Se todo o jogo se passasse em Toussaint, estaria ainda no topo da lista.

8 – Grand Theft Auto 5

Selva Urbana, Fidelidade Concreta

Se você quiser experimentar como é caminhar e dirigir por uma cidade movimentada da América com a maior fidelidade visual possível.

Grand Theft Auto 5 é a coisa mais próxima da realidade nesse aspecto. A busca pelo realismo nos videogames está totalmente em evidência.

Mais do que o visual, é a densidade da população e a diversidade dos NPCs que transmitem a sensação vivida na cidade. Ele aproxima GTA5 muito mais da realidade, e o que lhe permitiu resistir ao teste do tempo a tal ponto.

7 – Forza Horizonte 5

Correndo pelo Paraíso

Forza sempre esteve em uma categoria à parte no que se propõe a alcançar: tentar criar mundos abertos a partir de locais da vida real em um jogo de corrida.

É algo que os desenvolvedores tentaram repetidamente com a série Forza, e nunca foi tão preciso quanto em Forza Horizon 5. Vegetação exuberante, arquitetura incrível, praias, manguezais e muito mais…

Em contraste com a representação monótona e amarelada do México que estamos acostumados a ver nos filmes, Forza 5 mostra o México em toda a sua glória variada.

Vegetação exuberante, arquitetura incrível, praias, manguezais e muito mais são vivenciados no conforto de um carro de corrida a 620 milhas/hora.

6 – Homem-Aranha 2 da Marvel

Web-Slinging através da imagem perfeita de Nova York

O primeiro Homem-Aranha foi uma propaganda suficiente da habilidade da Insomniac em recriar e elevar a cidade de Nova York em um videogame, mas com o Homem-Aranha 2 da Marvel, vai um passo além.

Melhores gráficos, melhores temporadas e melhores efeitos especiais. Tudo é um avanço. A Nova York do Homem-Aranha 2 é a cidade mais impressionante que já foi, e cara, é linda.

A Nova York do Homem-Aranha 2 é a cidade mais impressionante que já foi, e cara, é linda.

E a cereja no topo? O modo de foto. Caso você ainda não saiba como o jogo era bonito, os desenvolvedores dão um tapa na sua cara com um dos modos de foto mais detalhados e personalizáveis ​​que já vimos em um videogame.

5 – Horizon: Forbidden West

Selvagem, maravilhoso e para o oeste

Fechar

A Guerrilla Games provou que sabia o que estava fazendo com Horizon Zero Dawn, mas com Forbidden West, tudo está em alta, especialmente os visuais.

O mistério do que aconteceu no passado pode desaparecer na sequência, mas o banquete para os olhos que está em exibição mais do que compensa isso.

De montanhas nevadas a campos verdes exuberantes e edifícios abandonados e invadidos, cada centímetro do jogo é de tirar o fôlego. Até a variedade de ambientes e efeitos climáticos é mais detalhada do que era.

Cada personagem principal que você conhece no decorrer da história é limitado por movimento, transmitindo uma sensação de realismo que é difícil de capturar em videogames.

E nem tocamos nas seções subaquáticas. Os jogos Horizon são os garotos-propaganda dos exclusivos do PlayStation e, com Forbidden West, é fácil perceber porquê.

4 – Ghost of Tsushima

Lâminas, flores e beleza

Se você está procurando um lindo jogo de Samurai, Ghost of Tsushima é o melhor que existe.

Tendo como pano de fundo a invasão mongol do Japão, manifesta a fantasia de ser um Samurai contra uma horda de inimigos.

Além de ser uma maravilha visual, sua direção de arte permanece consistente do início ao fim, algo incrivelmente raro de se ver em jogos de mundo aberto.

Ghost of Tsushima parece arte, especialmente quando enfrenta um espadachim solitário em um campo de grama ventoso sob o luar.

Parece arte, especialmente quando enfrentamos um espadachim solitário em um campo gramado ventoso sob o luar…

A única reclamação que posso fazer sobre o jogo é que ele é exclusivo do PS5, o que significa que ainda não atingiu o mercado mais amplo. Há muitos rumores de que o jogo pode ser lançado para PC em 2024.

3 – Cyberpunk 2077

País das Maravilhas Cibernéticas

Se há algo no Cyberpunk 2077 que sempre esteve acima de qualquer suspeita, é a maravilha visual que é Night City.

De todas as reclamações que os jogadores tiveram sobre o jogo no lançamento, uma coisa que sempre foi elogiada foi a qualidade da construção do mundo.

Cada prédio, calçada e outdoor do Cyberpunk está repleto de personalidade. E fica cada vez melhor quanto mais tempo você passa nele. Cada prédio, calçada e outdoor do Cyberpunk está cheio de personalidade…

O fato de o interior de noventa e nove por cento dos edifícios fazer parte do mundo aberto aumenta enormemente a imersão e o que torna o mundo do jogo uma experiência tão agradável.

Sem mencionar que a qualidade gráfica é a mais avançada possível, especialmente com o rastreamento de caminho ativado a todo vapor. Nunca passei tanto tempo olhando reflexões como no Cyberpunk.

2 – Red Dead Redemption 2

Cowboys e desfiladeiros

Red Dead Redemption 2 tem um mundo tão autêntico e verossímil que fiquei um tempo afastado de outros jogos de mundo aberto depois de jogá-lo.

A qualidade visual é incrível, é verdade, mas mais do que isso, é o mapa diversificado e variado do oeste selvagem, repleto de assentamentos e cidades vivas que compõem o todo, que o eleva a uma experiência completa que o prende por horas. No fim.

Fazer a caminhada até os Grizzlies e depois mais ao norte na neve para encontrar o White Arabian à beira do lago captura a sensação do que são os jogos de mundo aberto: exploração.

E é isso que Red Dead Redemption 2 acerta melhor do que qualquer outro jogo que já joguei.

1 – Avatar: Frontiers of Pandora

Caixa de Pandora de maravilhas visuais

Se estamos falando apenas de pura fidelidade visual, Avatar: Frontiers of Pandora está no auge do que um videogame pode alcançar.

Desde a primeira vez que você sai do bunker para Pandora até o momento em que você lida com o RDA pela última vez, o mundo de Pandora não deixa a bola cair.

Ilhas flutuando nos céus, vinhas gigantes nas quais você pode correr, picos de montanhas de trinta metros de altura e arcos gigantescos que abrangem toda a largura de planícies…

Ilhas flutuando nos céus, vinhas gigantes nas quais você pode correr, picos de montanhas de trinta metros de altura e arcos gigantescos que abrangem toda a largura de planícies que podem ser observados de cima em um Ikran voador.

É tudo o que os filmes prometeram e muito mais. O sistema de caça poderia ter sido melhor implementado, a fórmula da instalação RDA poderia ter sido melhorada e uma dúzia de outras coisas poderiam ser feitas com mais polimento.

Mas o que tenho dificuldade em imaginar que seria melhorado é o próprio mundo. Pandora é o mundo aberto mais lindo que já experimentei e nada pode tirar isso.

Siga-nos no Google News para receber as últimas notícias!

Compartilhe este artigo