Caminhos Hogwarts Legacy Melhora a representação em jogos

Como qualquer indústria, os videogames evoluíram com o tempo. Uma área com mudança visível é a representação. À medida que o zeitgeist cultural e o espectro político mudaram, mais e mais desenvolvedores tentaram promover a diversidade em seus lançamentos.

Infelizmente, estas tentativas produziram resultados mistos, por vezes impactando negativamente tanto o jogo como a causa.

Hogwarts Legacy brilha nesse sentido. Esse título tem uma enorme variedade, algumas das quais derivam de seus diferentes grupos sociais. Além do mais, o seu impulso para a representação parece orgânico.

Em vez de buscar a diversidade para marcar uma caixa, os desenvolvedores usam essa diversidade para enriquecer o mundo e fortalecer a jogabilidade.

Esse é um feito que muitos jogos não conseguem alcançar. O resultado é uma mistura muito mais rica. É por isso Hogwarts Legacy é um grande sucesso para representação e jogos em geral.

6 – Criação de Personagem

Os jogadores podem fazer com que seus assistentes se pareçam com eles

Criação de personagem Hogwarts LegacyEste deveria ser o exemplo mais óbvio. Em vez de colocar os fãs no lugar de um protagonista estabelecido, permite que eles construam suas próprias bruxas ou bruxos em crescimento.

Hogwarts Legacy começa com uma ferramenta variada de criação de personagens. O jogador pode personalizar o gênero e a aparência do herói. Nisso, eles podem escolher entre uma infinidade de tons de pele e características faciais.

O jogo ainda permite ajustar o tom vocal. É verdade que o processo não é tão robusto quanto outras ferramentas de criação de personagens. Muitos dos modelos parecem derivar do mesmo modelo.

No entanto, isso demonstra o quão comum a mecânica está se tornando entre os RPGs ocidentais. Isso não é ruim.

Quando bem feito, como é o caso aqui, pode fortalecer exponencialmente a imersão. Os jogadores podem literalmente se ver em seus mundos de jogo favoritos.

5 – É uma escola global

Hogwarts tem alunos e funcionários de todo o mundo

Natsai Onai e Madame Kogawa em Hogwarts LegacyÉ fácil ver que a aventura hospeda um elenco diversificado de personagens. Os colegas de classe do herói vêm de todos os cantos do mundo e de inúmeras classes sociais. A sua diversidade reside não apenas na sua aparência, mas também na sua experiência.

Natsai Onai, por exemplo, é um estudante de intercâmbio de Uganda. Ominis Gaunt é cego e, portanto, usa sua varinha para navegar. Mas não são apenas as crianças.

Os professores e outros adultos também têm origens variadas. O professor Shah parece vir da Índia ou do Oriente Médio, enquanto Madame Kogawa se formou em uma escola de magia japonesa.

Estes são apenas alguns exemplos e demonstram o amplo alcance de Hogwarts. O jogo reflete o fenômeno mundial dos livros e filmes nesse sentido.

4 – Não apenas humanos

A diversidade também se estende a outras espécies

Aprofunde-se Hogwarts LegacyHogwarts e as terras altas circundantes são o lar de inúmeras criaturas místicas. Não são apenas vários desses seres sencientes, mas todos eles têm seus próprios lugares no Mundo Mágico. Os exemplos mais comuns são elfos domésticos e goblins, que os jogadores encontram regularmente em suas jornadas.

Eles se integraram firmemente à sociedade humana. Por outro lado, os centauros guardam a Floresta Proibida.

Sua mentalidade tribal e provações passadas deram-lhes uma profunda desconfiança em relação aos bruxos. Tal dinâmica é exclusiva do mundo de JK Rowling.

Os desenvolvedores fazem amplo uso desse mundo. Entre os benefícios da fantasia está a riqueza de raças e criaturas fictícias.

A vida inteligente poderia vir literalmente de qualquer fonte. O público naturalmente deseja aprender a extensão dessa filosofia. Como resultado, a representação ajuda na construção do mundo.

3 – Um elenco original

Novos rostos significam novas chances para a diversidade

Amit Thakkar, Professor Garlick e Ominis Gaunt em Hogwarts LegacyEmbora Hogwarts Legacy acontece no mundo Harry Potter, ele contém um elenco de personagens completamente novo. Por causa disso, os desenvolvedores podem projetar esses personagens da maneira que acharem melhor.

Esta liberdade é uma oportunidade de representação através da adição e não da substituição.

Uma série de adaptações modernas priorizam a representação em vez da fidelidade. Eles mudam deliberadamente as raças ou sexos de personagens estabelecidos. O objetivo é modernizar a história, mas a decisão costuma causar polêmica.

Os legalistas estão irritados com as mudanças, pois os criadores parecem desconsiderar a propriedade para seus próprios fins. Ao mesmo tempo, engana e simboliza as pessoas que deveria representar.

Em vez de criar uma nova figura para apoiar esses grupos, os criadores lançam-lhes um personagem usado para preencher uma cota de diversidade.

A franquia já ganhou ira por isso com Hermione em Harry Potter e a Criança Amaldiçoada. Agradecidamente, Hogwarts Legacy contorna essa questão.

Novamente, está cheio de rostos novos. Isto produz vários benefícios. Primeiro, permite que os desenvolvedores cumpram seus objetivos de representação.

Em segundo lugar, pessoas de todas as raças e sexos realmente marcam presença no cenário. Terceiro, os puristas não ficam indignados com a ideia de pisotear o material de origem em busca de pontos de brownie. Todo mundo ganha.

2 – É um esforço de equipe

Todo mundo tem tempo para brilhar

Poppy Sweeting e o dragão em Hogwarts Legacy

O jogo não relega seu elenco diversificado a figurantes em segundo plano. A maioria dos personagens tem papéis a desempenhar em algum momento da história, sendo esses papéis decorrentes de suas experiências únicas.

Por exemplo, Amit ajuda o jogador a decifrar os planos dos goblins estudando sua língua.

Além disso, Poppy ajuda a se infiltrar na rede ilegal de luta contra dragões dos caçadores furtivos, aproveitando a experiência de seus pais no terrível comércio. Suas façanhas não param por aí.

Muitas das estrelas também apresentam extensas missões secundárias. Natty tem interesse pessoal em perseguir os caçadores furtivos. Afinal, suas ações inescrupulosas resultaram na morte de seu pai em sua terra natal.

Enquanto isso, Ominis acompanha os jogadores na busca pela magia negra. No entanto, ele os adverte contra isso após a experiência involuntária de sua família de sangue puro.

Essas histórias derivam substância da diversidade. Ao fazer isso, o jogo consolida esses caras como habitantes vivos do Mundo Mágico, em vez de inclusões simbólicas.

1 – A história

Divisão racial e classismo como temas centrais

Ranrok e outros goblins em Hogwarts LegacyO passo mais complexo na representação é a narrativa principal. Hogwarts Legacy diz respeito essencialmente a uma guerra racial. O malicioso Ranrok procura uma fonte de magia antiga.

Ele e seus companheiros goblins planejam usar essa magia para superar os opressores humanos.

Essa premissa levanta questões intrigantes sobre o tratamento dado pelos bruxos a outras espécies sencientes. Eles tratam até as criaturas mais inteligentes como cidadãos de segunda classe.

Os elfos domésticos, por exemplo, servem como escravos. O conflito vê ofensivas de ambos os lados, e os indivíduos podem alienar os seus pares, dependendo da posição que assumem.

É aqui que Hogwarts Legacy canaliza os mesmos temas sociais que outros IPs desafiadores como The Witcher, Star Trek e X-Men. Retrata autenticamente o preconceito dos humanos em relação ao desconhecido. O problema é que não vai longe o suficiente.

No final, a história esquece essas questões em vez de amarrar tudo com um pequeno laço bem cuidado. Ranrok se resume a um vilão padrão que quer destruir tudo, sem que seus argumentos tenham uma resolução significativa.

Dito isto, explorar estas questões em primeiro lugar dá à narrativa um peso surpreendente. O que é mais impressionante é que isso não compromete a propriedade, a tradição ou o apelo.

Na verdade, é uma expansão envolvente dos temas de “sangue puro” de Voldemort na série principal. A representação está no cerne de tais conceitos, e Hogwarts Legacy tem isso de sobra.

cartaz do legado de hogwarts Harry Potter: Hogwarts Legacy

  • Plataforma(s) Computador, Switch, PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series S, Xbox Series X
  • Lançado 10 de fevereiro de 2023
  • Desenvolvedor(es) Software Avalanche
  • Gênero(s) Ação, RPG

Siga-nos no Google News para receber as últimas notícias!