As 8 melhores partes de cada jogo de origem no BG3

Tatiana de Paula
7 Min Leitura
imagem dividida mostrando Karlach, o cérebro inferior e Astarion em Baldur's Gate 3

Baldur’s Gate 3 é um exemplo de RPG aprofundado com muitos ramos diferentes de diálogo, exploração e até mesmo quem você decide poupar, o que pode ter enormes consequências na história.

Uma maneira de explorar isso ainda mais é interpretando um dos oito personagens de origem diferentes.

Embora você ainda possa vivenciar suas histórias como alguém de fora, fazer escolhas como esse personagem cria uma experiência diferente que parece intensamente mais pessoal.

Para cada personagem de origem, há um momento que define seu personagem e vale a pena realizar cada jogada.

8 – Tav

Derrotando o Netherbrain

A melhor parte de jogar como um personagem de origem personalizada é poder mergulhar nas histórias de seus companheiros e, ao mesmo tempo, manter a sua aberta o suficiente para realmente contá-la por meio do jogo e do diálogo.

Embora isso forneça, na melhor das hipóteses, um passado vago, serve para criar um personagem verdadeiramente personalizado.

No final do Ato Três, quando você e seus aliados derrotam o Netherbrain e assumem o controle ou o destroem para sempre, você terá os momentos mais emocionantes e surpreendentes entre você e seus companheiros.

Aqui você finalmente respira aliviado e deseja poder continuar a aventura por mais oito atos.

7 – Coração Sombrio

Salvando ou sacrificando seus pais

Depois de entrar na Casa da Dor e derrotar o claustro de Sharrans liderado pela Madre Superiora, se você escolheu o caminho de Selûne para Shadowheart, ela deverá enfrentar a decisão mais difícil do jogo.

Isso significa sacrificar seus pais para quebrar o controle de Shar ou salvá-los enquanto ainda são escravos de uma deusa.

Embora os pais dela ajudem você a decidir, pedindo-lhe para sacrificá-los, ainda é uma cena incrivelmente emocionante, especialmente jogando como Shadowheart de origem.

Embora, seja qual for sua escolha, Shadowheart mudou para sempre após este momento.

6 – Wyll

Quebrando o pacto

Embora Wyll de origem tenha alguns momentos diferentes que fazem valer a pena jogá-lo, o mais satisfatório é finalmente poder quebrar seu pacto com Mizora.

Mesmo que ela tente mentir, trapacear e roubar para manter Wyll acorrentado, você ainda pode libertá-lo enquanto segue suas regras infernais.

Você também pode realizar a tarefa extraordinariamente difícil de resgatar seu pai, que vem em segundo lugar, já que esta é a primeira vez que você o encontra livre do controle do Netherbrain.

Isso é apenas mais uma coisa para jogar na cara de Mizora enquanto ela tenta negociar sua vida.

5 – Vendaval

Conhecendo Mystra

Embora um Gale triste e solitário no meio de um rompimento intenso com uma deusa seja um ótimo material para memes, jogar como o Mago de Águas Profundas dá um novo significado à cena de Mystra em Baldur’s Gate quando você joga como Gale de origem.

Isso se deve especialmente às escolhas que você pode fazer posteriormente.

Esta cena é o exercício definitivo de confiança e ego e realmente desafia você a fazer escolhas que ninguém jamais teria que fazer no mundo real.

Lutar com a divindade e compreender Mystra em sua conversa com ela é o que torna Gale uma excelente escolha para um personagem de origem.

4 – Astarião

Derrotando o Caçador Szarr

Um dos momentos mais emocionantes em qualquer uma das jogadas de origem, finalmente destruir a fonte da ansiedade e do medo de Astarion é uma das melhores partes de Baldur’s Gate 3, ponto final. Seguir isso é uma das escolhas mais difíceis que Astarion já teve que fazer.

Ser ascendido ou não é um assunto quente entre os fãs, mas o peso inegável da decisão e a luta entre o que é melhor para Astarion versus o que ele realmente deseja é um grande momento no jogo.

De qualquer forma, Cazador perde o poder e não pode mais machucar ninguém.

3 – Lae’zel

Salvando Orfeu

Um dos temas mais complexos da história de Lae’zel é lutar para escapar do dogma e desafiar todas as suas crenças.

Embora Lae’zel possa lentamente começar a entender as mentiras que lhe contaram, agir de acordo com seus novos objetivos é totalmente libertador.

Embora libertar o verdadeiro herdeiro do githyanki exija transformar o Imperador em vilão, vale a pena fazer com que Lae’zel alcance um objetivo que ela estabeleceu para si e seu povo.

Libertar Orfeu de suas correntes, embora arriscado, é muito importante para compreender Lae’zel como uma personagem dinâmica e permitir que ela cresça.

2 – Karlach

Derrotando Gortash

Ao lado de Astarion, Karlach tem algumas das cenas mais emocionantes e comoventes do jogo, e provavelmente a mais reconhecida pelos fãs é o momento após derrotar Gortash.

Finalmente, usando sua raiva para se vingar de sua maior traição, Karlach fica apenas com medo.

Seu medo da morte é inegavelmente identificável e é igualmente difícil de assistir e impossível de ignorar. O que faz este momento valer a pena é ouvir seus companheiros e deixá-los confortar Karlach em seu momento mais sombrio.

1 – Desejo Sombrio

Resistindo ao impulso

No que parece ser a experiência de personagem personalizada pretendida para Baldur’s Gate 3, o Dark Urge é um jogo desafiador, mas gratificante, que todos deveriam tentar pelo menos uma vez.

O momento climático é fazer a escolha entre ceder ao impulso ou resistir a ele para sempre.

Embora esta decisão tenha consequências bastante graves em geral, resistir ao impulso parece ser a escolha mais poderosa e gratificante, apesar de morrer imediatamente depois.

O alívio emocional de desafiar um deus e proteger seus ideais é o melhor momento do Dark Urge.

Siga-nos no Google News para receber as últimas notícias!

Compartilhe este artigo